Você está aqui: INPE / CBERS / Sala de Imprensa / Notícias / Leia na íntegra

Notícia

Ações para lançamento do CBERS-4A em 2019 prosseguem com êxito

por INPE
Publicado: Dez 21, 2018
Compartilhamento no FacebookCompartilhamento no Twitter

São José dos Campos-SP, 21 de dezembro de 2018

Etapa importante dos testes que antecedem o lançamento do satélite sino-brasileiro CBERS-4A foi concluída com sucesso pelos especialistas do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) e da Academia Chinesa de Tecnologia Espacial (CAST, na sigla em inglês). No Laboratório de Integração e Testes (LIT) do INPE, em São José dos Campos (SP), as atividades prosseguirão até maio, quando o satélite será transportado para a China, para lançamento no segundo semestre de 2019.

Toda a fase de montagem, integração e testes (AIT) do CBERS-4A é feita no Brasil, nas instalações do INPE. Entre as últimas ações, destacam-se os ensaios de compatibilidade eletromagnética.

"Durante a fase de lançamento, bem como durante a sua operação no espaço, o satélite não deve gerar perturbações eletromagnéticas que possam afetar seus próprios subsistemas e equipamentos, outros satélites ou a segurança e operação do veículo lançador e da base de lançamento. O satélite também não deve ser susceptível às emissões de perturbações eletromagnéticas que possam afetar sua segurança e o seu desempenho. Isto se aplica às perturbações emitidas pelo próprio satélite ou emitidas por outras fontes, sejam intencionais ou não intencionais", explica Antonio Carlos de Oliveira Pereira Junior, que coordena o Segmento Espacial do Programa CBERS no INPE.

Estes ensaios são realizados dentro de uma câmara anecóica, que é uma sala com blindagem eletromagnética onde as paredes são cobertas por absorvedores de radiofrequência que evitam as reflexões das ondas eletromagnéticas no seu interior.

O CBERS-4A é o sexto da parceria espacial entre Brasil e China, que completou 30 anos em 2018. O Programa CBERS (China-Brazil Earth Resources Satellite) produz conhecimento tecnológico e traz benefícios sociais e econômicos, pois o sensoriamento remoto por satélites é uma ferramenta de baixo custo para o monitoramento de países de dimensões continentais como o nosso.

A impossibilidade de reparo em órbita torna imprescindível a simulação em Terra de todas as condições que o satélite irá enfrentar desde o seu lançamento até o final de sua vida útil no espaço. O CBERS-4A garantirá a continuidade no fornecimento de imagens para várias aplicações ambientais.

Atualmente está em operação o CBERS-4, satélite de média resolução que é exemplo da evolução da tecnologia brasileira proporcionada pelo programa espacial e distribui imagens, gratuitamente, a milhares de usuários. As imagens do CBERS permitem, por exemplo, monitorar culturas agrícolas anuais, um tipo de aplicação que não é possível com satélites de alta resolução, que possuem faixas de imageamento mais estreitas.

Mais informações: www.cbers.inpe.br


Satélite CBERS-4A no interior da câmara anecóica do LIT/INPE para a realização dos testes de compatibilidade eletromagnética.


Logo INPE © Todas as matérias e imagens poderão ser reproduzidas, desde que citada a fonte.